Equipe

RICARDO WAINER

● Psicólogo (CRP 07/06301)
● Doutor em Psicologia (PUCRS - 2002)
● Mestre em Psicologia Social e da Personalidade (PUCRS - 1997)
● Especialista em Terapia do Esquema, com treinamento avançado (New Jersey/New York Schema Institute – 2011)
● Supervisor credenciado em Terapia do Esquema (International Society of Schema Therapy – 2013)
● Pesquisador em Psicoterapia Cognitivo-Comportamental e em Ciências Cognitivas
● Professor Titular da Faculdade de Psicologia da PUCRS
● Diretor da Wainer Psicologia Cognitiva - WP
● Coordenador e Professor do Curso de Formação em Terapia do Esquema da Wainer Psicologia Cognitiva - WP - Porto Alegre (primeiro e único curso do Brasil com credenciamento e selo da ISST)
● Idealizador e ex-coordenador/professor do Curso de Especialização em Psicoterapia Cognitivo-Comportamental (WP 2006-2013)
● Professor de diversos cursos de Especialização em Psicoterapias Cognitivo-Comportamentais do Brasil
● Sócio Fundador da Federação Brasileira de Psicoterapias Cognitivas (FBTC)
● Sócio Fundador e 1º Presidente (biênio 2010-2012) da Associação Gaúcha de Terapias Cognitivas (ATC-RS)
● Membro da International Association of Cognitive Psychotherapy (IACP)
● Membro Pleno (Full Member) da International Society of Schema Therapy (ISST)
● Autor do primeiro livro brasileiro sobre Terapia do Esquema, intitulado Terapia Cognitiva Focada em Esquemas da Editora Artmed

Pergunte ao Dr.

  • PERGUNTA
    Sempre ouvi falar que a TCC é uma forma de terapia que enfoca o "agora", sendo bastante eficiente para pacientes que tem fobias, ansiedade e depressão. Ela pode ser utilizada para casos mais graves como, por exemplo, transtorno de personalidade?
  • RESPOSTA
    Sim, com certeza. Normalmente nestes casos o tratamento será mais longo, pois estamos lidando com um padrão de comportamento disfuncional que traz prejuízo ao indivíduo por bastante tempo da sua vida. Assim a TCC utiliza a formulação cognitiva do indivíduo buscando identificar suas crenças a respeito de si, do outro e do mundo. Pois através deste entendimento, utilizando sessões estruturadas e técnicas específicas pode-se modificar crenças disfuncionais e assim ter mudanças
    na personalidade deste paciente. Existem diversos estudos que sustentam tanto a teoria quanto a terapia para transtornos de personalidade. Pretzer (1998) e Beck e colaboradores (2004). E em vários países ela é utilizada como referência para a liberação de tratamento psicoterápico por planos de saúde por sua eficácia.

    Ricardo Wainer, Psicólogo