Arquivo de janeiro de 2017

Entrevista concedida pela psicóloga Carolina Halperin da Wainer Psicologia para o Jornal do Almoço/RBS TV

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Entrevista Dra. Carolina.

 

Confira a entrevista concedida pela psicóloga Carolina Halperin da Wainer Psicologia para o Jornal do Almoço/RBS TV, abordando o tema: preocupação com a aparência na beira da praia.

Assista a entrevista na integra através do link:http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/jornal-do-almoco/videos/t/porto-alegre/v/ja-ideias-psicologa-fala-sobre-preocupacao-com-aparencia-na-beira-da-praia/5595314/

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Odeio segunda feira!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Texto Dr. Francisco

Amanhece a segunda feira, o despertador toca e, ao abrir os olhos vem o primeiro lamento da semana. Quando a semana começa se arrastando é preciso rever as razões pelas quais você faz aquilo que faz. Qual é o seu propósito?

Existem aqueles dias em que a vida parece não estar fazendo sentido. Esta impressão vem quando vivemos no automático, de forma robótica, sem uma reflexão sobre o fato de existirmos e sem consciência das razões pelas quais fazemos o que fazemos. Qual é o seu propósito?

Propósito vem do latim e carrega o significado de “aquilo que coloco adiante”. A vida com propósito é aquela em que tenho consciência das razões daquilo que faço e do que deixo de fazer.
A falta de propósito pode interferir nos nossos relacionamentos interpessoais. Influenciado pelas emoções, podemos agir de formas que não condizem com o que quero pra mim ou que considero corretas. Por exemplo, quando sentir raiva, brigar com alguém.

A terapia de aceitação e compromisso (ACT) estimula o cliente a entrar em contato com as sensações internas oriundas das emoções e das respostas cognitivas para que, a partir disto, saibamos nos relacionar de forma diferente com estas reações automáticas e fazer escolhas comportamentais mais valorosas.
Com maior consciência destas reações podemos escolher comportamentos mais adequados com nossos valores pessoais. Um objetivo primordial da ACT é que saibamos o motivo pelo qual estamos escolhendo algum comportamento, por que fazemos o que fazemos. Todos nós temos valores pessoais que são nossos guias para a vida. Todos sabemos onde queremos chegar e como queremos agir, mesmo que ainda não esteja absolutamente claro. Ao nos comportarmos coerentemente com nossos valores, nos relacionando amistosamente com nossos sentimentos, adotamos uma vida com muito mais propósito e as segundas feiras começam a ser mais coloridas.

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Comer ou não comer?

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Post - Dra. Carolina

 

Quem nunca sentiu culpa após comer algo “que não devia”? Quem nunca se viu no dilema entre comer algo de que gosta muito, mas “faz mal”, ou resistir a “tentação” e alcançar seu objetivo em termos de forma física?

Vivemos na era do nutricionismo, também conhecido por terrorismo nutricional. Coma isto, e você será uma pessoa “saudável”, desde que deixe de comer todos outros alimentos “proibidos”, dignos de uma pessoa “que não se cuida”.

Acontece que essa forma de pensar é distorcida e provoca sofrimento extremo! A partir do momento em que só somos “saudáveis” ao nos privarmos totalmente de certos tipos de alimentos, criamos uma armadilha: cada vez que pensamos em comer, ou comemos de fato uma comida “proibida”, caímos no buraco das pessoas que deveriam se envergonhar de sua fome, de suas vontades, de seus corpos. Isso vai contra toda a nossa fisiologia e ignora a função principal de nosso corpo: nos manter naturalmente saudáveis e em equilíbrio.

Precisamos voltar a nos conhecer e confiar no nosso apetite, na nossa saciedade, nas nossas vontades. A partir do momento que nos libertamos do medo de comer, e passamos a nos escutar e permitir comer o que desejamos, uma mágica acontece: as compulsões desaparecem, o peso se mantém ou até mesmo diminui, e reassumimos o controle das nossas vidas, fazendo as pazes com nosso corpo.

Que tal experimentar se conhecer? Ouça seu corpo, respeite suas vontades, perca o medo de determinados alimentos. Garanto que isso fará de 2017 um ano mais leve e feliz!

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Estamos no mês da campanha Janeiro Branco!

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

janeiro branco

 

Com a chegada do fim do ano muitas pessoas aproveitam para refletirem sobre suas vidas. É comum que se faça um balanço do ano, avaliando conquistas e aspectos que ainda precisam ser melhorados. Essas reflexões são bastante saudáveis e úteis quando o objetivo é validar os pontos que foram melhorados e metas que foram alcançadas. Ainda, também pode ser uma oportunidade de avaliar metas que não foram atingidas, nas quais passos já foram dados na direção desejada.

Dessa forma, passada a virada do ano, janeiro torna-se um mês valioso. É um marco temporal para promoção de reflexão, debate e planejamento de ações focadas em nosso bem-estar e em nossa saúde mental. Consequentemente, estamos construindo ações que nos tragam mais felicidade em nossas vidas. E com base nessas ideias, nasceu a campanha Janeiro Branco.

Cada vez mais está sendo falado sobre a importância do autocuidado. E ao fazerem isso, cuidam não somente de seu corpo, como também de sua mente. A ideia de cuidar da saúde mental vem com o intuito de promover autoconhecimento e inteligência emocional. Quando nos conhecemos, conseguimos identificar o que precisamos melhorar, o que realmente é importante e valioso na nossa percepção e quais caminhos queremos traçar nas diferentes áreas de nossa vida.

Essa campanha tem como objetivo chamar a atenção das pessoas para o tema da saúde mental. Incentivar que as pessoas pensem a respeito de suas vidas, de suas escolhas, de suas atividades e de seus relacionamentos. Refletir se estão no caminho de seus valores. Se não estiverem, esse é o momento de repensar! Nada na vida é definitivo e podemos remanejar nossa vida sempre que os caminhos não estão de acordo com nossas metas. O importante é manter a mente aberta a buscar caminhos mais saudáveis para nós. Afinal, ano novo, vida nova!

Aproveite essa campanha e busque um momento de reflexão! Para que seja um momento realmente proveitoso, vale alguns cuidados:

1) tenha autocompaixão consigo mesmo. Procure entender realmente o que aconteceu quando algumas metas não foram cumpridas. Não faça dessa reflexão um espaço para culpa e sim para construção;

2) não seja exigente demais consigo mesmo. Seja gentil, realista e procure soluções;

3) procure estabelecer metas realistas. Pequenas metas são mais fáceis de serem cumpridas do que grandes metas sem planejamento. Procure valorizar cada etapa do processo, para manter-se motivado e engajado.

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Crianças em férias, e agora, o que fazer?

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

post

 

Mais um ano se passou e chegamos as nossas tradicionais férias de verão, época em que as crianças e adolescentes estão de férias da escola e também em alguns casos, bebês e crianças que frequentam escolas infantis, as quais em grande parte também fazem o recesso de final de ano.

Muitas famílias conseguem se organizar para gozar férias do trabalho neste período, entretanto, isso nem sempre é possível, por diversos fatores.

Nesta época, é preciso que os pais e/ou responsáveis possam estar atentos para alguns detalhes que envolvem ter as crianças em casa, por mais tempo. Da mesma forma, vale ressaltar que assim como os adultos necessitam de férias para descansar e curtir o lazer, as crianças também precisam ter esse tempo para poder se divertir, passear e quem sabe até visitar parentes que moram longe.

Para os casos onde viajar não será possível, é importante flexibilizar a rotina da criança para que ela possa efetivamente brincar e se divertir. Com um pouco de organização familiar, é possível realizar atividades em parques, passeios diversos, banhos de piscina, piqueniques, cinemas e explorar brincadeiras com os membros das famílias, parentes e amigos.

Assim como se faz importante mais atividades prazerosas e de lazer nas férias, vale ressaltar que algumas questões na rotina precisam ser preservadas, como horários para dormir, procurar manter a rotina de horário do banho, higiene bucal e refeições. Claro que precisamos ter flexibilidade, pois eventualmente alguns aspectos dessa rotina serão alterados, mas é importante que não sejam totalmente alterados, pois caso o sejam, criarão um grande problema no retorno as aulas. Uma dica especial para os pais é incentivar e proporcionar mais atividades de lazer e esportes ao ar livre, em detrimento ao uso abusivo dos jogos eletrônicos, internet e celulares.

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone